AFINAL, COMO DEVE SER A REFLEXÃO MAÇÔNICA?

Saudações, estimado Irmão!

AFINAL, COMO DEVE SER A REFLEXÃO MAÇÔNICA?

São muitos os caminhos que podemos tomar em busca de resposta. A maioria se atém de certa forma, ao plano mais pessoal e individual, do que ao coletivo ou ao outro.

Vamos dizer que, profanamente, a reflexão é compreendida como uma análise detalhada de alguma coisa ou de uma ação a ser tomada. E, realmente, é.

EU, quando estou diante de uma incógnita, uso meus atributos do raciocínio à procura da resposta = EU estou fazendo um exercício mental.

EU, quando leio um texto edificante, uso meus recursos de analogia e correlação à procura da verdade = EU estou fazendo uma análise.

EU quando sou sensibilizado por imagens, sons, aromas, texturas e sabores, sou levado a outro estado mental = Eu estou meditando.

EU, quando assumo a condição de pensar bastante antes de um ato = EU estou exercendo a virtude da prudência.

Se o Maçom é um Construtor Social, a predominância do EU, em qualquer desses casos, o torna ineficiente.

Sem dúvida, são de extrema importância para a maturação do homem a meditação, o pensamento, a análise, a sensibilização, a prudência e o cuidado que devemos ter no processo de entendimento nos planos das idéias e nos eventos da consciência.

Mas, a questão é que esses processos que nos transformam internamente, muitas vezes, não provocam ou estimulam mudanças no ambiente externo a nós mesmos.

Então o que será a Reflexão Maçônica? A resposta está na ciência da Física.

Física (do grego antigo: φύσις physis “natureza”) é a ciência que estuda a natureza e seus fenômenos em seus aspectos mais gerais. Analisa suas relações e propriedades, além de descrever e explicar a maior parte de suas consequências”. (Wikipédia)

Em física, o fenômeno da reflexão consiste na mudança da direção de propagação da energia. Consiste no retorno da energia incidente em direção à região de onde ela é oriundaapós entrar em contato com uma superfície refletora.” (Wikipédia)

Por analogia, devemos ter bem claro que toda energia (Luz, Instruções, Símbolos, Alegorias, Ensinamentos, Virtudes) que o EU receber da sociedade, e aí se inclui a Maçonaria, deve ser redirecionada ou ter um retorno para o OUTRO, cumprindo, assim, a função refletora.
QUAL É ENTÃO, O PROPÓSITO MAIOR, DESDE O INÍCIO DE NOSSA CAMINHADA MAÇÔNICA, A NÃO SER REFLETIR PARA A SOCIEDADE A LUZ QUE NOS FOI CONCEDIDA?

Neste décimo quarto ano de compartilhamento de instruções maçônicas, continuamos a incentivar os Irmãos ao estudo, reflexão e, principalmente, pelo momento em que vivemos a fraternidade solidária entre os Irmãos.

Sinto muito, me perdoe, sou grato, te amo. Vamos em Frente!

 

Fraternalmente,

 

Sérgio Quirino
Grande Primeiro Vigilante
GLMMG

 

 

Ano 14 – Artigo 22 – Número Sequencial 775 – 31 Maio 2020

Sérgio Quirino
Grande Primeiro Vigilante da Grande Loja Maçônica de MInas Gerais
Contato: 0 xx 31 99959-5651 /

quirino@roosevelt.org.br

Facebook: (exclusivamente assuntos maçônicos) Sergio Quirino Guimaraes Guimaraes

Os artigos publicados refletem a opinião do autor exclusivamente como um Irmão Maçom.
Os conteúdos expostos não reproduzem necessariamente a ideia ou posição de nenhum grupo, cargo ou entidade maçônica.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *