O GRANDE ORIENTE DO DISTRITO FEDERAL MERECE RESPEITO

Eminente Irm.∙. Lucas Francisco Galdeano.
Gr.∙. Mestr.∙. Est.∙. do DF.∙.

Inicio proclamando o meu apreço incontestável e enorme respeito pela Instituição Maçônica em referência e pelo Pod.∙. e Em.∙. Irm.∙.

E também relembrando nossos felizes contatos que um dia, me honraram, e esforços que empreendemos em prol das primeiras AA.∙. RR.∙. LL.∙. SS.∙.  Universitárias criadas em nossos respectivos Estados e Potências.

Concordo plenamente, com o Em.∙. Irm.∙., que a Maçonaria brasileira sofre com a desconstrução de figuras públicas da Ordem. Não obstante, a atitude perniciosa desse fato indesejável e triste nunca deveria ser imputado a profanos, porém aos próprios maçons. De todas as três potências.

Porque ela (a Maçonaria Universal), em face da sua estrutura, da sua constituição não poderia ser aviltada por nenhum modelo estranho, a menos que se permita.

A Ordem é uma instituição imaculada e possui Organização própria, definida e sistemática.

Cada membro deve ter plena consciência de que segue princípios claros, assimiláveis, compreensíveis, simples e predeterminados.

Consta ser a Maçonaria a união consciente de homens inteligentes, virtuosos, desinteressados, generosos e devotados. Livres e iguais entre si.

Único fato que os prendem é apenas, a fraternidade, pela assistência mútua.

Nunca deveríamos assacar, responsabilizar o que quer que seja além das paredes dos nossos templos.

Nesse aspecto, como paradigma, proponho que sejam revistos, analisados e questionados, em todas as minucias, com o máximo escrúpulo, os momentos mais angustiantes da Maçonaria Brasileira que deram origens por desagregação as Grandes Lojas, depois os Grandes Orientes Independentes e recentemente o nosso maior Grande Oriente Estadual.

E veremos que não se tratam de rebeliões criadas por estranhos e indesejáveis profanos contra a Grande Potência Mater. O GOB

Vamos praticar o mea-culpa. Reconhecer o próprio erro, a fraqueza, a tolerância para com o desrespeito àquilo que conquistamos, o desacato, a nossas regras e desconsideração aos nossos padrões.

Bater no próprio peito, outrora preparado para a emancipação progressiva e pacifica da humanidade.

Que um dia não muito distante anunciou com solenidade, a Independência do nosso país. Que, em outro dia, arrancou correntes dos braços dos escravos negros. Em outro, declarou aberta e publicamente, em voz altiva a Republica Brasileira.

Quando, em momentos alguns, os interesses pessoais foram coadunados com os princípios maçônicos.

Quando, em momentos alguns, a omissão, a inveja, a mentira e a maldade foram realidades.

A Maçonaria do Passado, incólume, nos orgulha. Dela herdamos glórias.

 

tiberio sá maia M.∙. M.∙.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *