Os Landemarques

Irm AMBRÓSIO PETERS.

Sendo a Maçonaria uma ordem e não tendo, portanto, uma organização formal nem uma cúpula governante supranacional, como se mantém ela coesa e organizada?

No seu conjunto, a Maçonaria se rege por algumas regras básicas de tradição oral, não formalizadas, maçonicamente conhecidas como Landemarques, do inglês Landmarks, palavra que significa marcos, limites ou regras. Esses Landemarques nunca foram oficialmente aprovados ou estabelecidos por alguma assembleia. Eles somente têm o aval da tradição oral. Apesar disso são sempre observados na formação e no funcionamento das lojas e dos grão-mestrados, e por eles se rege o comportamento dos maçons. E uma aceitação livre por maçons livres, e um maçom livre não precisa de sanções para cumprir os seus deveres.

Não há uma listagem oficial dos Landemarques. Diversos escritores maçônicos em diversas épocas tentaram elaborá-la, porém nunca chegaram a um consenso. O número de seus artigos pode variar, mas, será sempre em torno de alguns itens fundamentais. Não há uma definição oficial de Landemarque”, mas costuma-se dizer que se alguma regra uso, ou costume maçônicos for modificado’ e se modificação tornar a Maçonaria diferente do que ela é então estaremos seguramente diante de um Landemarque.

Um estudo feito pelo Masonic Service Association, dos Estados Unidos*, chegou a um resultado que pode parecer inquietante aos não-maçons, mas que é de somenos importância no seio da Maçonaria. De todas constituições dos 50 grão-mestrados das grandes lojas americanas consta a obrigatoriedade da severa obediência dos Landemarques. Mas 16 grandes loias não os listaram oficialmente, 4 se referem simplesmente aos Antigos Deveres dos Maçons Operativos 17 adotaram os Landemarques de Mackey de 25 pontos (vide Apêndice), e os últimos 13 fizeram suas próprias listas contendo de 5 a 53 itens. Essas divergências, contudo, não produzem nenhum desentendimento ou desunião.

Há nos Landemarques sete itens básicos: – a crença em um Ser Supremo (sem se definir o conceito) –a crença nas sobrevivência do espírito – o Governo das lojas por um venerável e dois vigilantes administração das loias por um grão-mestre – igualdade entre todos os irmãos – direito de inter-visitação das lojas – direito do grão-mestre de dirigir a loja em que estiver presente. Se desses sete itens se excluírem os dois primeiros, referentes a Deus e ao espírito teremos os cinco que estão em todas as versões.

Os demais itens das versões mais amplas são derivações destes cinco. Quanto à crença em um Ser Supremo, há duas grandes Loias americanas, que definiram o Teísmo como condição para alguém ser aceito na Ordem. Há também grão-mestrados que excluem dos Landemarques referência ao Ser-Supremo e à sobrevivência do espírito, não porque o condenem, mas porque são contra dogmatizações.

Os Landemarques fazem parte da tradição maçônica, e é esta tradição que faz com que a Maçonaria permaneça tão firmemente una. Uma tradição oral, assim, tão forte jamais será prejudicada por divergências de listagens.

 

*Ancient Landmaks of Frccntasonry.
Ed do Massonic Service Association of America (MAS) Pg 44.

 

Irm. AMBRÓSIO PETERS.
A R L S “Os Templários”
GOB/Paraná
Or. de Curitiba – PR.
Escritor, Historiador Filosofo e Livre Pensador.
CURITIBA, quarta-feira, 5 de julho de 1995
Do Livro Maçonaria – Verdades e Fantasias.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *