MÓRMONS MAÇONS

Abdias Flauber Dias Barros.
22 outubro 2015

Nota do blog:

Quando escreveu este texto, Abdias Flauber ainda era membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Hoje, embora não seja mais um Mórmon (decisão exclusiva dele), ainda conserva todos os bons princípios absorvidos da doutrina.

Embora sua referencia religiosa tenha deixado de ser o “mórmonismo”, as verdades outrora por ele apregoadas (quando Mórmon), continuam valendo, pois a verdade é eterna, e não perde seu sentido em função das mudanças climáticas ou decisões de ordem pessoal, por isso o texto é publicado aqui, e afirmo ainda que Abdias Flauber é um homem livre e de bons costumes.

 

 

 

Esta semana recebi a informação de uma carta dirigida a liderança da Igreja, foi lida durante a reunião sacramental em uma ala. Compartilho com os caros irmãos que a princípio senti me feliz pelo fato de saber que a mesma tomou conhecimento de existência de Membros que são Maçons no Brasil, o que não é novidade nos Estados Unidos, por exemplo. Tanto que me chamou a atenção parte do parágrafo que diz:

“Lembramos que a escolha de se tornar maçom é um assunto pessoal. Não existe nenhum tipo de discriminação na Igreja quanto à associação de seus membros à maçonaria…”

Sim, isto foi extremamente positivo! Lembrou a todos os seus leitores a importância do livre-arbítrio, que a decisão de ser um Maçom é algo particular e completa a sequência afirmando a inexistência de qualquer preconceito àqueles que fazem parte da Ordem. Opa! Peraí, não existe ou não deve existir? Nós vivemos em sociedade e como o ser humano por sua natureza terrena é sujeito ao erro, iria desconsiderar isto como regra. Na minha humilde opinião, o autor do texto atingiria seu objetivo se utilizasse das palavras, por exemplo: Não pode haver qualquer tipo de discriminação.

Não respondo por mim, pois como já os fiz saber, nunca tive problemas de discriminação seja por parte da Igreja, seja por parte de membros, tanto enquanto membro no Brasil, quanto no exterior. Mas levanto a voz por àqueles Irmãos de outras Alas/ Ramos em nosso país que sofreram ou sofrem preconceitos por serem homens livres e de bons costumes, por integrarem os quadros de obreiros de nossas lojas.

Outro trecho da carta lembra que aquele que recebeu sua investidura no templo já “… fez o convênio de consagrar-se ao Senhor e Sua Igreja. Isto suplanta e precede qualquer envolvimento em organizações criadas pelos homens.”

Seria uma má decisão fazer parte de uma organização criada pelo homem, aonde a mesma leva em sua bandeira o lema da Liberdade , da Igualdade e da Fraternidade? Aonde exige daqueles que aspiram integrar seu interior sejam àqueles que queiram cavar masmorras ao vício, a tirania e tudo o que tira a capacidade do homem de pensar e edificar templos a virtude, a verdade e a justiça?

Seria errado fazer parte de uma organização criada pelo homem quando no passado Maçons Ilustres da história das Américas se fizeram proeminentes na realização do bem comum, líderes que marcaram época trazendo a liberdade, o desenvolvimento e o progresso principalmente em nosso país?

O que dizer de líderes de nossa Igreja que fizeram/ fazem parte de organizações criadas pelos homens além da Maçonaria, como o Rotary Clube, Escotismo Mundial, Lyons Clube? Teriam eles errado de alguma maneira ao administrar seu tempo de forma a não cumprirem com seus Convênios de Templo?

Ou queria/ querem eles apenas andar a segunda milha, praticar a caridade, buscar mais luz e conhecimento, servir?

Joseph Smith (Profeta de AIJSUD)

Joseph Smith, Sr. (pai de Joseph Smith)

Hyrum Smith (irmão de Joseph Smith)

Samuel Smith (irmão de Joseph Smith)

William Smith (irmão de Joseph Smith)

Sidney Rigdon (Conselheiro de Joseph Smith)

Orson Pratt (Apóstolo)

Parley P. Pratt (Apóstolo)

Orson Hyde (Apóstolo)

Lyman Johnson (Apóstolo)

William Law (Segundo-conselheiro de Joseph Smith)

William Marks (Presidente de Estaca de Nauvoo)

Erastus Snow (Apóstolo)

William Clayton (secretário de Joseph Smith)

Brigham Young (Segundo Profeta de AIJCSUD)

Heber C. Kimball (Primeiro-conselheiro de Brigham Young)

Willard Richards (Segundo-conselheiro de Brigham Young)

John Taylor (Terceiro Profeta de AIJCSUD)

Wilford Woodruff (Quarto Profeta de AIJCSUD)

Lorenzo Snow (Quinto Profeta de AIJCSUD)

Glen Cook (137º. Grão-Mestre de Utah, primeiro SUD-Maçom a ser Grão-Mestre neste século)

Elder David B. Haigh (Apóstolo e diretor do conselho de Escotismo de Stanford e membro do Rotary Club)

Spencer W.Kimball (Profeta de AIJCSUD e membro do Rotary Club por 20 anos)

“Portanto, pelos seus frutos os conhecereis” Mateus 7:20

Durante os tempos do Brasil Colonial a Ordem sempre esteve presente em decisivos e importantes momentos de nossa história, para citar brevemente acontecimentos como o Dia do Fico, a Independência, a Inconfidência Mineira, a Libertação dos Escravos e a Proclamação da República, pois mantínhamos-nos de pé e a ordem para superar as dificuldades e avançávamos. Não podemos nos dar ao luxo de nos calarmos neste momento, em memória de nossa história, em memória daqueles Maçons Ilustres, de suas vidas e suas lutas e em respeito aos nossos queridos Irmãos que atualmente tiveram suas vidas e a vida de suas famílias conturbadas em favor da ignorância de certos homens, certos seres humanos, que por falta de conhecimento, deturpam e ou cobrem a verdade.

Abraham Lincoln – Presidente dos Estados Unidos

George Washington – Presidente dos Estados Unidos

San Martin Matorras, José de – Libertador da Argentina, Chile e Peru

Ademar de Barros – médico e político ( Governador de Estado )

Arruda Câmara – naturalista e frade carmelita

Barão do Rio Branco – historiador e diplomata

Benjamin Constant – militar, professor e político ( “o pai da República” )

Bento Gonçalves – líder da revolução farroupilha

Campos Salles – presidente da República

Cônego Januário da Cunha Barbosa – prócer da Independência

Deodoro da Fonseca – militar, proclamador da República

Duque de Caxias – militar, patrono do Exército Brasileiro

Frei Caneca – patriota e revolucionário

Hermes da Fonseca – presidente da República

Jânio da Silva Quadros – presidente da República

Joaquim Gonçalves Ledo – prócer da Independência

Joaquim Nabuco – escritor, diplomata e líder abolicionista

José Bonifácio de Andrada e Silva – ” O Patriarca da Independência”

José do Patrocínio – expoente da campanha abolicionista

Marquês de Abrantes – político e ministro de Estado

Nilo Peçanha – presidente da República

Osório, general – um dos maiores militares brasileiros

Padre Feijó – político e figura da Regência

Pedro I – primeiro imperador do Brasil

Visconde do Rio Branco – estadista

Washington Luis – Presidente da República

Wenceslau Brás – Presidente da República.

“O verdadeiro Maçom sabe que não há melhor argumento que sua própria vivência . Ele se impõe no seu ambiente influenciando-o positivamente, não de forma arrogante ou arbitrária, mas por sua conduta exemplar e inquestionável. Ele é enérgico porém bondoso. Firme, porém humilde. Sua bondade e humildade residem no fato de saber que, a despeito de num dado momento de sua vida Maçônica ser simbolicamente denominado mestre, na prática será sempre aprendiz. Aprende-se a todo instante e de todas as formas. O Maçom é o pedreiro de sí mesmo, e por mais que a obra esteja adiantada, sempre faltará um retoque, pequeno que seja. E depois outro, outro, e mais outro, assim infinitamente. Por mais que se saiba, por mais evoluído que seja, sempre restará algo a aprender, novas lições a assimilar. Na escola da vida não há formandos, ou formados, apenas eternos alunos em busca do aperfeiçoamento.

Fixemo-nos pois, nas principais características que distinguem o verdadeiro Maçom e não nos desvirtuemos de nosso objetivo maior. Mantenhamo-nos livres e firmes na prática dos bons costumes, e que com o auxilio do “Grande Arquiteto do Universo”

nossos corações sejam cada vez mais sensíveis ao bem.

E lembremo-nos sempre: “o que para o profano é um gesto meritório, para o Maçom é um dever sagrado.” Todos àqueles nobres Irmãos que são SUD e também Maçons são tão dignos, justos e conscientes de sua honra e fidelidade aos seus convênios do Templo quanto qualquer outro que não seja Maçom. Lancemos mais luz sobre o assunto, deixemos de lado a abertura para mais dúvidas e incertezas.

Sugiro aos Irmãos que o que quer que façam não ajam com a paixão, utilizem-se da razão, ponderem, meditem, orem a respeito e se sentirem que devem, se as palavras lhe forem sussurradas, que utilizem-se da força que podemos ter hoje em dia, que é a palavra aliada ao conhecimento. Desenvolvamos nossos senso crítico, ao ouvir ou ler um argumento, analizemos os dados fornecidos. Conhecimento é Poder.

Fonte http://mormonsmacons.blogspot.com.br/

Abdias Flauber Dias Barros

Membro da Ala 1 – Doha, Manama Bahrain Stake

Companheiro-Maçom, Loja Allan Kardec, 101 – Grande Loja Maçônica do Estado do Rio de Janeiro

Bibliografia:

  • Bíblia Sagrada, Novo Testamento, Mateus 7:20
  • Por seus frutos/Eduardo Teixeira de Rezende/Presidente Assembléia Maçônica GOEMG
  • Brasil Maçom

 

Facebook Comments

1 thought on “MÓRMONS MAÇONS

  1. Sobre a questão de Abdias Flauber ter deixado o Mormonismo, nossa versão é que hoje, embora não seja mais um Mórmon por decisão exclusiva dele, conserva os princípios absorvidos da doutrina. Para o Irm. Flauber a verdade perdura. A Igreja mereceu e merece amplo crédito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *