A Batalha de Ayacucho

Rui Bandeira

A libertação da América espanhola teve o seu epílogo com a batalha de Ayacucho no dia 9 de Dezembro de 1824, e teve actos de fraternidade e generosidade que nunca serão esquecidos pelos maçons e que claramente os definem. Deveriam também constituir um exemplo para todos.

 Na noite anterior à batalha, as Lojas que funcionavam em ambos os exércitos foram chamadas separadamente para uma reunião visando encontrar uma solução que evitasse o derramamento de sangue, mas essa solução não foi possível de ser encontrada.

Foi feita em seguida uma reunião em conjunto, mas também com o mesmo resultado negativo.

No dia seguinte um maçon espanhol solicitou permissão para que familiares e maçons que militavam em diferentes exércitos fossem autorizados a abraçar-se pela última vez.

Uma centena de soldados sul-americanos e espanhóis avançaram para se cumprimentar; no lado esquerdo ficaram os maçons, que após se abraçarem por três vezes, participaram de uma fraternal reunião que durou quase uma hora e foi emocionante.

Encontraram-se, entre outros, os irmãos Rodil, Espartero, Vergara, Virrey José de la Serna, Venerável Mestre General Canterac, Past Master Marechal Jerónimo Valdez, General Monet, Antonio Tur e General Ballesteros, no lado espanhol, e os irmãos José Faustino Sanchéz Carrión, General Antonio José de Sucre, General José Maria Córdova, Tenente Coronel Vicente Tur (espanhol, mas pertencente ao exército patriota e irmão de Antonio Tur) e o General Antonio Valero de Bernabé, no lado sul-americano.

Ficou o exemplo da fraternidade maçónica, que não reconhece nem raças nem nacionalidades, ainda que nas circunstâncias mais dramáticas. Terminou a batalha com a vitória do exército Sul-americano e quando o chefe espanhol, o maçon La Serna, ferido seis vezes, entregou sua espada ao General maçon, Sucre, este não a aceitou, solicitando que continuasse nas mãos do bravo militar.

As atenções que os prisioneiros e, especialmente os feridos, receberam, foi outra amostra de fraternidade extrema, como igualmente a Acta de Capitulação, em que a generosidade do vencedor ultrapassou os pedidos do vencido.

 

Facebook Comments

2 thoughts on “A Batalha de Ayacucho

  1. Mano Tibério, pensei que não seria possível, mas voce se superou! obrigado por me manter seu associado!
    TFA. Marco Tulio Scussel

    1. Querido Irmão Scussel.
      É com muita alegria que retorno ao seu contato.
      Agradeço-lhe o seu estímulo e incentivo Valioso.
      Gostaria que a continuação de sua participação no NOSSO NOVO SITE SAMAUMA.COM.BR lhe fosse benéfica.

      Rogo que possibilite a divulgação para os que necessitarem de luz para o conhecimento do que prega a Nossa Grande Família em prol de uma sociedade coesa e mais transparente.

      TFA

      tibério sá maia
      Samaúma Online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *