MAÇONS FAMOSOS – “Argentina”

“Cuando la patria está en peligro todo está permitido, excepto no defenderla”. José de San Martin

Agustín Pedro Justo – Militar de Concepción del Uruguay. Reconstruiu a política e economia do país. Durante a 2a. Guerra Mundial, ocupou o cargo de General na Armada brasileira, na luta contra os países do eixo. Foi presidente da república no período de 1932 a 1938.

Alejandro Vicente López y Planes. Escritor, advogado e político, presidente interino da Argentina de 1827 a 1828. É o autor da letra do Hino Nacional do País, adotado em 11 de maio de 1813.

Bartolomé Mitre – Militar, historiador e estadista da cidade de Buenos Aires. Foi exilado no governo Rosas, por suas idéias. Ao voltar, com a ajuda de Urquiza, participou da deposição do governo Rosas. Foi ministro da guerra, governador e presidente da república, de 1862 a 1868. É o fundador do jornal “La Nación”, em 1870.

Bernardino Rivadavia – Militar e estadista da cidade de Buenos Aires. Foi o 1o. presidente argentino. Seu mandato foi marcado pela cultura e ciência. Durante o período da febre amarela, sua mansão foi transformada em hospital para atendimento à população.

Carl Hermann Conrad Burmeister ou Carlos Germán Conrado Burmeister. Naturalista de ,origem alemã. Nasceu em 15 de jan de 1807, Stralsund – Alemanha e faleceu em 2 de mai de 1892, em Buenos Aires – Argentina. Viajou em 1850 ao Rio de Janeiro, depois à Minas Gerais, atraído pela fama de Lagoa Santa.
Carlos María de Alvear Militar e político. (25 de outubro de 1789, Santo Ângelo, Rio Grande do Sul –
– 3 de novembro de 1852, Nova Iorque, Nova York, EUA) 
Carlos Pellegrini / El Gringo – Advogado e político da cidade de Buenos Aires. Foi deputado, ministro da guerra, senador e presidente da república. Importante líder que tirou a Argentina da crise fiscal e política de 1890.

Cristóbal María Hicken Botânico renomado e Professor Nasceu em 1 de janeiro de 1875, Buenos Aires e faleceu em11 de março de 1933, Mar del Plata, Argentina

Cornelio Judas Tadeo de Saavedra y Rodríguez  Militar e estadista rioplatense com participação na Revolução de Maio que possibilitou a independência do país (15 de setembro de 1759, Otuyo, Bolívia – 29 de março de 1829, Buenos Aires, Argentina) 

Domingo Faustino Sarmiento – Educador, escritor e estadista da cidade de San Juan de La Frontera. Foi um dos maiores promotores do desenvolvimento do ensino. Escreveu mais de 50 livros. Foi presidente da república, de 1868 a 1874. Foi Grão-Mestre da Grande Loja Argentina.

Barão Eduardo Fernando Wenceslao Holmberg Botânico e militar. Filho do Barão de Holmberg, que combateu com Manuel Belgrano. Ajudante do general Juan Galo Lavalle, na luta, na Batalha de Rodeo del Medio.

Eduardo de Holmberg – Eduard Ladislaus Kaunitz von Holmberg, Botânico amador e militar austríaco-argentino, que combateu na Guerra de Independência Argentina. Seu neto, Eduardo Ladislao Holmberg, foi um dos maiores naturalistas da Argentina.

Eduardo Ladislao Holmberg foi um botânico, geólogo, zoólogo e escritor Era filho do botânico Eduardo Wenceslao Holmberg e neto do Barão de Holmberg

Federico Lacroze. Empresário, ferroviário. Criou a primeira linha de bonde em Buenos Aires e sua Estação Ferroviária. Auxiliou na ligação de Entre Ríos, Corrientes e Misiones com a capital.

Florentino Ameghino – Paleontólogo e antropólogo da cidade de Luján – Buenos Aires. Publicou 186 obras; foi membro das mais importantes sociedades científicas do mundo. Descobridor dos fósseis dos pampas argentinos.

José de San Martin Matorras – Militar e herói de Yapeyú – Corrientes. Lutou pela independência da América e sua felicidade. É o libertador da Argentina, Chile e Perú. Teve intensa atividade Maçônica. Tornou-se VM de muitas lojas espalhadas por seu País

José Ingenieros – Médico, catedrático, sociólogo e psiquiatra De Palermo – Itália. Escreveu trabalhos sobre psiquiatria e criminologia: “La simulation de la locura” foi premiada pela Academia de Medicina de Paris. Medalha de ouro pela Academia Nacional de Medicina de Buenos Aires. “Psicologia Genética” e “El hombre medíocre”, são suas principais obras. Membro do Partido Socialista e defensor das lutas de classes.

José María Cornelio Figueroa Alcorta  Advogado e político. (20 de novembro de 1860, Córdova, Argentina –  27 de dezembro de 1931, Buenos Aires, Argentina) Presidente da Argentina (1906–1910), Vice-presidente da Argentina (1904–1906) Foi presidente do país após o falecimento de Manuel Quintana. Pertenceu ao Partido: Partido Autonomista Nacional.

José Miguel Galán Militar e político. Auxiliar do presidente Justo José de Urquiza da Entre Ríos. Lutou nas Guerras Cisplatina e contra Oribe e Rosas contra a província de Buenos Aires.

José Roque Pérez – Jurisconsulto, diplomata, filantropo e humanista da cidade de Córdoba. Foi fundador da Gran Logia de la Argentina. Foi Grão-Mestre e com outros maçons, morreu socorrendo enfermos com febre amarela.

Juan Bautista Alberdi – Sociólogo, jurista e político da cidade de Tucumán. Fundou centros culturais e sociais, diversos meios de comunicação. Foi ministro de relações exteriores. Dedicou seus estudos aos Direitos Públicos para a América Latina.

Juan Gualberto Gregorio de las Heras. Militar, governador de Buenos Aires. Integrou o exército libertador do Chile e do Peru. Enquanto exilado, dirigiu grupos opositores a Juan Manuel de Rosas.

Juan Hipólito del Sagrado Corazón de Jesús Yrigoyen Alen – Político argentino, duas vezes presidente do país (12 de julho de 1852, 3 de julho de 1933. 

Juan Pablo López. Militar e político, governador de Santa Fe em três oportunidades. Nasceu em 26 de junho de 1792 em Santa Fé – Novo México – EEUU, faleceu em 27 de julho de 1886, Santa Fé – Argentina.

Juan Ramón Balcarce Líder militar e político Governador da Província de Buenos Aires (1832–1833). Nasceu em Buenos Aires e faleceu em Concepcion – Uruguay

Justo José de Urquiza – General e político da província de Entre Rios. Foi governador. Promoveu as reformas fiscais, administrativas e educacionais. Foi presidente da república, de 1854 a 1860. Negociou o tratado de navegação com Inglaterra, França e Estados Unidos, com a abertura dos portos argentinos para o mundo. Sustentou no poder Juan Manuel de Rosas por algum tempo.

León Zeldis – Escritor maçônico da cidade de Buenos Aires. Filho de imigrantes russos, tem livros e artigos editados em todo o mundo. “As Côres do Simbolismo”, “O Simbolismo da Pedra”, “Uma necessidade faz o Símbolo”, “Estudos Maçônicos”, são alguns títulos.

Leopoldo Lugones – Poeta, ensaísta e narrador argentino, da cidade de Córdoba. Teve uma forte influência na geração de novos escritores.

Luis María Drago. Político, jurista, jornalista e escritor de direito internacional. Criador da Doutrina Drago. Fez parte de diversos jornais, como jornalista.

Manuel Belgrano – Advogado da cidade de Buenos Aires. Proeminente doutor das leis, voltou-se para a reforma educacional e econômica da Argentina. Considerado um herói da República.

Manuel Blanco Encalada – Militar e político da cidade de Buenos Aires. Após sua luta pela independência do Chile, foi eleito presidente da república.

Manuel Pedro de la Quintana Sáenz Gaona. Prof Universitário, Advogado, político e estadista Presidente da nação (1904 a 1906). Foi deputado e depois senador.

Miguel Cané. Advogado, político, jornalista e um dos mais importantes escritores da literatura argentina. Nascei em 27 de janeiro de 1851, em Montevidéu – Uruguay. Faleceu em 5 de setembro de 1905 em Buenos Aires.

Miguel Juárez Celman. Advogado, político e presidente do País, entre 1886 e 1890. Sua carreira política foi influenciada por seu concunhado, Julio Argentino Roca, seu antecessor na presidência do país.

Miguel Lillo. Autodidata. Dedicou-se em diversos estudos científicos, em especial aqueles sobre a natureza.

Olegário Víctor Andrade. Poeta de renome, jornalista e político. Nasceu em Alegrete – Rs. Brasil

Pedro Simón del Corazón de Jesús Benoit foi um arquiteto e engenheiro.

Roque Sáenz Peña – Presidente da Argentina – (19 de março de 1851, Buenos Aires, Argentina –  9 de agosto de 1914, Buenos Aires, Argentina)

Santiago Derqui. Político O Primeiro presidente da Argentina a governar todo o país desde a jura da Constituição. Partido Federalista. Seu breve governo — dezoito meses, entre 5 de março de 1860 e 5 de novembro de 1861; Renúnciou ao cargo depois da derrota da Confederação Argentina na Batalha de Pavón.

Tomás Guido foi um general sanmartiniano, diplomático e político. Atuou nas invasões inglesas e aderiu à Revolução de Maio de 1810. Brindou seu talento negociador durante os difíceis momentos da independência.

Vicente Fidel López foi um historiador, advogado e político. Filho de Vicente López y Planes, presidente da Argentina.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *